Inspiração existe, mas ela precisa te encontrar trabalhando.

Inspiração existe, mas ela precisa te encontrar trabalhando.
5 (100%) 1 vote

Inspiração existe, mas ela precisa te encontrar trabalhando.

 

Você já ouviu essa frase?

 

Já falou-se muito também em ócio criativo. Que no momento de descanso ou de não fazer nada, as ideias surgem. Bom, de uma forma ou de outra, precisamos desmistificar a inspiração e criatividade e entender que todos nós somos criativos para construir aquilo que desejamos. Como tudo na vida, é preciso praticar.
Como é para mim?

 

Eu já fiz vários cursos que são considerados “criativos”, na área da moda e fora dela. Então, vou tentar relembrar os conceitos e te explicar da melhor forma que eu puder:

 

O que um dos cursos que eu fiz indica é que você tem que ser especialista em algo (por exemplo, eu sou especialista em corte e costura e me aprofundo no assunto), porém, também é preciso ser generalista, ou seja, se interessar, ser curioso e saber de muitas coisas um pouquinho, fora da sua área de “expertise”. Outros temas, outras ideias, inspirações de algo que não tem nada a ver com a sua especialidade podem te ajudar. Alguma informação vai ficar guardada dentro da sua “caixinha” e quando você precisar dela, aquele repertório estará dentro de você.

 

Para pensar uma roupa que eu desejo executar, o treino funciona assim: inúmeras informações me trazem inspirações, seja um filme, seja folheando uma revista ou seja “turistando” (até na minha própria cidade). Eu tento trazer cores, sabores e ideias para a minha realidade, para o meu universo. Quando leio um livro, mesmo que não seja sobre moda, pela descrição do (a) autor (a), eu tento criar o cenário e figurinos na minha cabeça. Quando vejo um vestido no tapete vermelho – aqueles impossíveis de usar na vida real – eu imagino qual característica dele poderia trazer para um vestido casual. Assim, eu exercito minha imaginação e vou criando meu repertório.

 

(Imagem do meu rolo de câmera. Quantas combinações podem ser feitas?)
De forma mais prática, especificamente na costura e modelagem, eu tento salvar (no computador, com fotos ou nas redes sociais) o máximo de imagens que eu curto. A gola que eu amei, aquele babado lindo, um detalhe super diferente que vi em uma camisa… tudo vai se juntando na minha pasta. Aí, quando eu tenho um tecido e preciso me decidir, já possuo um arquivo extenso de inspirações que são do meu gosto e condizem com o meu estilo. Isso me ajuda muito na definição do modelo que desejo fazer.

 

A correria do dia-a-dia, as tarefas e o tanto de informações que recebemos na internet podem nos deixar com pouco tempo de exercitar a criatividade, mas você pode usar a rotina, os afazeres e extrair o que eles têm de melhor. Outro dia, no carro, fazendo o mesmo caminho para o ateliê que eu faço todo dia, reparei quão linda e arborizada estava uma rua que eu passo. Só de parar, olhar com atenção, admirar a beleza já é dar sentido e significado ao caminho que está “automatizado”. Reparar as árvores, as flores e as cores são fontes de inspiração. Para usar agora? Para que? Não sei de imediato, mas com certeza abriu o meu olhar e quanto mais o nosso olhar é aberto à uma nova ideia, ele não retrocede, apenas se expande.

 

(Imagem do meu rolo de câmera. Quantas estampas, texturas e formas podem ser imaginadas?)
Espero que esse texto tenha te inspirado um pouquinho. Faça esse exercício de olhar ao seu redor, de fazer uma pasta de inspirações, de imaginar a roupa… tudo isso  é importante para a criatividade, seja ela para qual objetivo for: para uma modelagem e costura, ou para te ajudar com um desafio que surgir no seu dia.

 

(Imagem do meu rolo de câmera. Vista da minha cidade, BH. Consigo fazer essas cores de degradê do céu juntando tecidos ou com tingimento? )
Um grande abraço,
Lara Rogedo

Conheça o meu instagram @LaraRogedo

Se você gostou desse texto, leia esse outro em que falo sobre DOM 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *