Itens e funções da máquina reta doméstica

As máquinas são diferentes em alguns aspectos, todavia seus itens básicos, que a maioria possui, são praticamente os mesmos. Vamos conhecer seus acessórios para facilitar o manuseio dessa peça fundamental para a costura.

É necessário entender que a disposição e formato podem alterar, mas as funções permanecem imutáveis. No desenho, há exemplos desses itens. É fundamental ler o manual de instruções referente à máquina utilizada para se familiarizar com o material de trabalho, saber utilizar, limpar, passar a linha e colocar a bobina.

 

Com tudo isso em ordem, o trabalho fica mais fácil e produtivo.

 

Botão liga-desliga: o botão de ligar e desligar da máquina controla o seu funcionamento. Geralmente,  uma luz acende para indicar que a máquina de costura está ligada e pode ser utilizada. Como medida de segurança, realize os procedimentos internos da máquina como ‘passar a linha’, ‘trocar agulha’ e ‘colocar óleo’ com o aparelho desligado para evitar qualquer tipo de acidente.

Volante: o volante realiza o controle da costura, assim como o pedal. Com o volante é possível laçar a linha da bobina, fazer costuras com precisão e retirar o tecido quando o trabalho estiver finalizado. No momento em que houver linhas emboladas entre tecido e máquina  – geralmente isso acontece quando a linha não está passada corretamente pelo seu caminho  –  com o manejo cuidadoso do volante, é possível retirar o tecido e recomeçar a costura.

Pedal: o pedal é um item da máquina que controla a agulha e realiza a costura. Ele é ligado à ela e funciona com a utilização do pé.

Enchedor de bobina ou bobinador: realiza o enchimento da bobina. É necessário verificar, no manual da máquina que será utilizada, o caminho da linha para efetuar esse processo. É um caminho diferente do caminho da linha da agulha principal.

Limitador do enchimento de bobina: as máquinas atuais, geralmente, possuem o limitador. Ele evita que a bobina fique com mais linha que o necessário.

Bobina: a bobina é uma espécie de pequeno carretel que armazena uma das linhas indispensáveis à costura. Fica na parte de baixo, dentro da máquina de costura. Com a linha do carretel (ou cone) e a linha da bobina, é possível fazer o ponto da costura.
 Caixa de bobina: a caixa de bobina é o local onde se encaixa a bobina.

Lançadeira: peça da máquina de costura que contém a caixa de bobina e a bobina. O sistema, em conjunto com a linha inferior, cria os loops que formam os pontos da máquina de costura.

Sistema vertical da máquina: a bobina fica na vertical, em uma caixa de bobina removível. Remove-se puxando a trava (lingueta) da caixa de bobina e, assim, a bobina é retirada.

Existe um parafuso, na caixa de bobina, que tem como função regular sua tensão. Puxe a linha com a bobina dentro da caixa de bobina. Caso ela corra facilmente, o parafuso deve ser apertado, mas caso ela esteja muito firme e corra menos que 2cm, é preciso afrouxar a tensão.

Sistema horizontal da máquina: a bobina fica logo abaixo do pé calcador, em plano horizontal. Se a tampa for transparente, ela fica visível e, portanto é possível visualizar a quantidade de linha disponível. Pode-se remover apenas a bobina na hora de enchê-la.

Braço livre: Algumas máquinas contém o braço livre, ou extensão livre, que é uma parte da estrutura da máquina removível, possibilitando que se faça costuras tubulares – barras de calça, por exemplo – com mais facilidade.

 

Regulador de tensão do ponto: É muito importante ajustar a tensão do ponto para que ele fique igual, em cima e embaixo. A tensão varia de acordo com o tecido utilizado. À  medida que o número aumenta no regulador, a tensão aumenta e quando diminui, ela fica mais frouxa.  A linha da bobina não deve aparecer na costura superior e a linha de cima não deve aparecer na parte de baixo.

 

Seletor de comprimento do ponto: O comprimento do ponto é o tamanho da linha entre um furo da agulha e outro. Esse comprimento é definido em milímetros, e pode variar de acordo com o tipo de costura e/ou tecido utilizado.

Seletor de largura do ponto: A largura do ponto é utilizada geralmente com pontos decorativos. No zigue-zague, por exemplo, quanto mais largo, mais em forma de “V” ele fica. Quanto menos largo mais reto estabelece-se o ponto.

Tipos de pontos disponíveis: Os pontos decorativos e elásticos disponíveis dependem do modelo e da finalidade da máquina. Os pontos mais importantes para costuras em geral são: ponto reto, ponto zigue-zague, ponto multizigue-zague (para colocação de elástico) e casinha de botão.

Alavanca de retrocesso: O retrocesso faz a costura para trás, ou seja, é importante no começo e no final, para arrematar e evitar que a costura desfaça. Outra opção ao retrocesso, quando se utiliza tecidos finos, é passar com uma agulha as duas linhas para o avesso da roupa e dar um nó, à mão.

Pé calcador: Esse item pode ser chamado também de ‘sapatilha’ e é utilizado para segurar o tecido contra a máquina. Existem inúmeros tipos de sapatilhas para diferentes utilizações, como colocação de zíper, colocação de viés, para franzidos, para fazer casa de botão, dentre outras. O pé calcador ilustrado é o de costuras gerais.

Alavanca para levantar o pé calcador: Essa alavanca tem a função de levantar o pé calcador para liberar o tecido da máquina e, também, para posicionar a sapatilha contra o tecido.

Porta carretel/retrós: Local para colocação da linha no carretel. Ao encaixar o carretel, coloca-se um pino para prendê-lo. Quando um cone é utilizado no lugar do carretel, recomenda-se deixá-lo no chão dentro de um recipiente ou na parede, em um pino. O porta carretel  pode ser um pino vertical ou horizontal na máquina.
Assista, nesse vídeo, dicas sobre como escolher a sua máquina reta doméstica. Para a escolha desse item, é necessário analisar o objetivo do usuário com o que é oferecido na máquina:

Grande abraço!

Lara